Page images
PDF
EPUB

demonstração da immensa erudição, e espantosa memoria d'este homem extraordinario:

1."— De sacra scriptura, tum veteris, tum Novi Testamenti, de que ejusdem sensibus, versionibus, interpretatione, et expositione.

2. — De Romanorum Pontificum serie, successione, authoritate suprema,

de
que

Conciliis Æcumenicis, ac eorum causis, Præsidibus, et doctrina.

3."— De Historia Ecclesiastica tum ab Adamo usque ad Christum, tum ab Christo, usque ad annum præsentem:

4.'— De Sanctorum, et Græcorum, et Latinorum ætate, et doctrina; ac præcipuè S. Augustini, cujus opera omnia exponentur; sententiæ asserentur, defendentur.

5.'—De tota philosophia, et Theologia Speculativa, et Morali, ac illius Scholis, præcipué Scholastica, Thomistica, Jesuitica, de que sacris Canonibus, et Instituitis, ac libris Juris Civilis.

6.- De Historia Græca, Latina, Barbara, præcipuè Italia et Veneta.

7. —De Rhetorica, ac illius arte, ac methodo ad usum ita redacta, ut quamcumque quis quæstionem dicenti ponat, de ea extempore dicentem audiat. 8. — De Poetica ad mentem Aristotelis, de

que

illius formis, et versibus, Poetis præcipuè Græcis, Latinis, Italis, Hispanis, Gallis, oblata quavis materia extemporali, eam Poeta suscipiet, et versu describet.

Cuilibet disputaturo ponere, et rogare, quid velit licitum esto, a die Lunæ 26 Septembris 1667–Publicè in Ecclesia S. Francisci de Vinea Venetiarum.

«Concorrêrão, diz Machado na Bibl. Lusit., a este litterario combate os mayores Sabios, que aquella idade respeitava na « Europa, atrahidos uns da admiração, e estimulados outros de «inveja, de que hum homem se animasse, posto que ornado de « sublime talento, a huma empreza, que ainda era ardua para « todos os Catholicos da mais douta, e florente Universidade. « Porem a experiencia os desenganou, reconhecendo que era Ma« cedo animada Encyclopedia, e vivo erario de todas as Sciena cias, as quaes possuia com tanta eminencia, que a tudo quanto « se lhe perguntou e arguio, se não equivocou em uma só palaavra, e muito menos se suspendeo pelo mais breve espaço a todas « as respostas que dava; antes, para evidente prova de como a « comprehensão do juizo, e felicidade da memoria se não tinhão « perturbado com tão diversos argumentos, e logravão de huma a perfe£ta serenidade, emendou a hum dos arguentes hum Texto «da Escriptura erradamente citado, e a outro lembrou-lhe hum « verso de Virgilio, que lhe esquecêra, etc. »

A fóra os Latinistas Portuguezes, cujas producções são transcriptas no Corpus Illustr. Poet., devemos mencionar outros, que adquirirão grande celebridade, e são os seguintes:

Ayres Barbosa, André de Gouvéa, L. André de Resende, Marçal de Gouréa, D. Jeronimo Osorio, D. Antonio Pinheiro (Bispo de Miranda e Leiria), Damião de Goes, Achilles Estaço, Diogo de Teive, e outros, que podem ver-se no S 294, pag. 246 e 248 da Noticia succinta dos Monum. da Ling. Lat. de J. V. Gomes de Moura.

D'entre todos, porém, he o mais notavel o grande Jeronimo Osorio, Bispo de Silves, denominado o Cicero Portuguez, o qual escreveu em Latim muitas obras, sendo uma, e a principal, a que tem por titulo: De rebus Emmanuelis Regis Lusitaniæ virtule et auspicio gestis libris duodecim. 1571.-Manoel de Faria e Sousa (As. Port.) faz o seguinte elogio a esta obra: «Sin algun descrimen es la mas felis despues de la de Titulivio. En la latinidad todos le conceden facilmente la palma de ser el mejor Ciceroniano: en la orden es singular, en el juicio es claro, en los reparos es agudo, en la gala es grave, e en todo es persecto.»

Vem logo depois d'este o douto Bispo de Miranda, D. Antonio Pinheiro.

-EVORA GLORIOSA, Epilogo dos quatro tomos da Evora Illustrada, que compôz o R. P. M. Manoel Fialho, da Companhia de Jesu. Escr. augm. e amplif — pelo P. Francisco da Fonseca da mesma Companhia. Roma 1728.

Na parte 5. d'este Livro, a qual tem por titulo=«Evora Douta)=, se encontrão importantes noticias acerca da Universidade de Evora, e dos Eborenses famosos nas Letras, antes e depois de fundada a Universidade.

Pondo de parte as noticias anteriores aos Reis portuguezes, e limitando-nos unicamente ao periodo posterior, encontramos já nos fins do seculo XIII, estabelecidos estudos regulares na Cidade de Evora, até que mais tarde apparecem e brilhão os Galvões, os Resendes, os Estaços, os Severins de Faria, Diogo Mendes de Vasconcellos, Jeronimo Osorio, Gaspar Barreiros, e outros que, ou nascêrão em Evora, ou lá tiverão domicilio e longa residencia.

A pag. 409 da Evora Gloriosa, encontrão os Leitores um Catalogo dos Authores Eborenses; a pag. 416, n.° 273, começa a noticia acerca da Universidade de Evora, e dos Collegios annexos á mesma; e finalmente, a pag. 425, n.° 736, a Bibliotheca Eborense-Academico-Jesuitica, sendo o primeiro nomeado n'esse Catalogo o Cardeal Infante D. Henrique, a quem o Author chama resplendecente sol, doutissimo, e Mecenate dos Letrados. N'este ultimo Catalogo são mencionados todos os livros escriptos pelos Padres da Companhia de Jesus, que forão Mestres ou Estudantes da Universidade de Evora.

Diremos de passagem que a Evora Gloriosa he um Livro, a cuja composição presidiu um admiravel espirito de ordem, de sorte que a sua disposição he sobremaneira methodica, regular e clara. O Author descreve a Cidade d'Evora debaixo do ponto de vista da sua Historia Politica, Religiosa e Litteraria, e n'este sentido divide a sua obra em cinco partes: Evora Profana, Evora Pia, Evora Pontificia, Evora Religiosa, Evora Douta. Na 1.a parte trata da fundação de Evora, do seu augmento, dos acontecimentos politicos de que foi theatro, ou em que os seus filhos figurárão; e dos vardes que se assignalárão por serviços á patria; na 2.4 trata dos estabelecimentos de piedade e de beneficencia; na 3. dá noticia do governo ecclesiastico de Evora desde os primeiros tempos do Christianismo; na 4." descreve as producções dos Conventos; e na 5.o finalmente, que mais de perto nos interessa, traça a Historia Litteraria de Evora desde a mais remota antiguidade até ao seculo xviii. Achâmos muito galante uma advertencia do linpressor

Romano da Evora Gloriosa, e pedimos licença ao Leitor para aqui a transcrever, por muito curiosa e ingenua:

—«Avertimento dello Stampatore.-La favella Portoghese è cosí poco usata in questi nostri paesi, che questa é la prima volta, che l'hanno parlato i miei caratteri, essendo necessario a tal fine, non solamente di formar nuove lettere, ma di più andar copiando l'Originale a maniera di quei, che copiano le pitture: maravigliandosi non poco i compositori di vedere, che parlavano colla Stampa cio, che non sapevano proferire con la lingua, e peró doverá il Benevolo Lettore compatire benignamente gl'errori, che trovarà nelle nell'Impressione del Texto etc.)

MEMORIAS HISTORICAS DO MINISTERIO DO Pulpito. 1776.
APPENDIX SOBRE A REFORMA DAS LETRAS NA EUROPA. 1776.
CUIDADOS LITTERARIOS ---do Prelado de Béja, em graça do

seu Bispado (em data de 8 de Dezembro de 1788);

Impressos em 1791. Estas obras forão escriptas por D. Fr. Manoel do Cenaculo Villas-Boas, Bispo de Béja, e depois Arcebispo de Evora; e d'ellas todas, como observou o sabio Trigoso, se póde tirar o fundamento de uma excellente Hist. Litt. Europea.

Não se propoz o preclarissimo Cenaculo a escrever uma Historia Litteraria, mas sim a excitar os animos para a sincera cultura das Letras, e para serem professadas com methodo; para conseguir, porém, este fim foi-lhe necessario percorrer a historia intellectual dos povos, e especialmente a dos portuguezes, habilitando-se d'est'arte a apontar as causas e os effeitos, dignos da imitação, ou da censura.

Nas Memorias Historicas do Ministerio do Pulpito propoz-se Cenaculo, em beneficio da Ordem Terceira de Portugal, a melhorar os Estudos, proporcionando á Mocidade d'aquelles Claustros as luzes e estimulos para ser erudita, e poder passar além do Systema Escolastico exclusivo, que então dominava ainda; e n'aquella Obra ha um Appendix, com o titulo de Oratoria Sagrada em Portugal, no qual vai seguindo a Monarquia Portugueza, desde os primeiros seculos, e apontando as differentes phases das Letras e das Sciencias entre os seus compatriotas, e fazendo a resenha dos Varões illustres, que em differentes ramos encontra. He este, sem contestação, um bello pedaço de Historia Litteraria.

Nos Cuidados Litterarios propõe-se Cenaculo a encaminhar os Ordinandos nos seus estudos, e ahi entra em largos e eruditos desenvolvimentos, que não só aproveitão aos que se destinão para a vida ecclesiastica, mas tambem aos que se dedicão ás Letras e ás Sciencias, seja qual fôr a sua especial applicação.

Já tivemos occasião de encarecer os louvores que merece o grande Cenaculo, no nosso trabalho statistico:=Béja no anno de 1845=pois que nos veiu a proposito commemorar n’aquelle Opusculo o preclarissimo nome do Prelado, que por espaço de vinte e cinco annos, e tão brilhantemente, presidira aquella Igreja nascente Quando nos annos de 1845 e 1846 governámos o Districto de Béja, tivemos relações com pessoas idósas d'aquella Cidade, que tinhão gosado a ventura de ver o grande e immortal Cenaculo, e que ainda se recordavão saudosos d'esses bellos tempos, em que o illustre Prelado elevára Béja ao maior grao de esplendor. Alli estabeleceu elle o uso das Conferencias Ecclesiasticas, fundou a Academia Ecclesiastica de Béja, creou no seu proprio Paço um Curso de Humanidades e de Theologia, sendo a alma, o motor zeloso de todos esses estabelecimentos, cujo desenvolvimento, progressos, e bom fructo, animava pessoalmente. Alli escrevia immortaes obras, destinadas a dirigir os estudos, e a instruir e a guiar o Clero; ao passo que não se descuidava de promover a educação do sexo feminino, creando escholas de meninas, nem tão pouco de olhar para essas serras que sepárão o Algarve do Campo de Ourique, e lá fazia chegar tambem os beneficos influxos da sua sollicitude, mandando instruir na Cidade moços d'aquellas Parochias, e creando lá Cadeiras de ensino, e Capellas. Na Cidade de Béja deixou uma Bibliotheca completa, e proporcionada para se cultivarem os estudos ecclesiasticos que fundára; formou um Museu das antiguidades da sua Diocese; reuniu uma notavel collecção de pinturas. E não satisfeito ainda com os beneficios prestados a favor da Religião, das Sciencias e das Letras, promoveu o arroteamento de muitos terrenos desaproveitados, da sua Diocese. Agasalhava e recebia como Principe um grande numero de Sabios, e de habeis Artistas estrangeiros, que o visitavão.

Restaria ainda fallar do grande Cenaculo como Arcebispo de Evora, e voltar atraz para o considerar como Religioso da Ordem Terceira da Penitencia, como Lente de Artes no Collegio de Coimbra, como Mestre do Principe D. José, como Presidente da Real Mesa Censoria, etc. etc.; mas levar-nos-hia muito longe essa gostosa tarefa, e ficariamos ainda assim muito aquem do que he devido ao merecimento do grande homem, ao qual o Marquez de Pombal chamava poco sem fundo e sem lodo.

Todas as obras que citámos de Cenaculo são boa fonte de noticias para a Historia Litteraria. Desejáramos, porém, que o estilo d'este grande homem fosse mais corrente e claro, pois que por vezes, e particularmente nos Cuidados Litterarios, o achamos · embaraçado e escuro. Daremos uma breve amostra do seu estilo. Nos Cuidados Litterarios, fallando dos nossos Escriptores do

« PreviousContinue »