Page images
PDF
EPUB

das pelo celebre Bartolozzi. Muitos punções, e um abundantissimo numero de matrizes d'elegantes typos, de vinhetas e ornatos typographicos, de muito gosto, fazem tambem consideravel parte da sua riqueza.)=

=«0 Edificio em que se acha a Imprensa Nacional, posto que não fosse construido para este fim, comtudo pelas obras que se lhe tem feito em diversos tempos, principalmente pelas que The fizera o meu fallecido irmão, meu antecessor, presta-se ao estabelecimento e funcções das suas Officinas, e póde considerar-se uma bella Casa, hoje muito aceada e em boa ordem, como é facil ver e examinar, porque é franca a sua entrada em todas as terças feiras.»=

=«Resta fallar do pessoal desta Casa, que em geral tem bons empregados, havendo entre elles alguns de muito merecimento; e para o provar basta dizer, que na Imprensa Nacional não ha hoje nenhum estrangeiro, achando-se, todavia, em pratica grande parte dos methodos por que a arte typographica tem chegado ao seu admiravel adiantamento nos paizes mais civilisados, sendo para isto necessario o concurso de machinas, e outros objectos nunca vistos em Portugal antes de meu irmão vir de França, que, honra á sua memoria, foi quem aqui introduziu esses methodos.»=

Faz muita honra ao Sr. Firmo Augusto Pereira Marecos a creação de uma especie de Monte Pio, ou Caixa de Soccorros, que o mesmo Sr. estabeleceu em 5 de Novembro de 1845, para acudir aos empregados daquella Casa com soccorros durante a doença, mediante a entrada de cada um com a pequena quantia de 60 réis semanaes, deduzida dos seus vencimentos.

Documentos a consultar acerca da Imprensa Nacional:

ALVARÁ de 24 de Dezembro de 1768.
RELATORIO E Contas do Cofre da Imprensa Nacional per-

tencentes aos annos de 1839 e 1840 Lisboa 1841. DIARIO DO GOVERNO, n.° 83 de 9 de Abril de 1844, onde

se encontra o Relatorio de 10 de Janeiro do mesmo anno. RELATORIO do Administrador Geral da Imprensa Nacional

Firmo Augusto Pereira Marecos, publicado no Diario do
Governo de 7 de Julho de 1849.

ORÇAMENTOS DO ESTADO.

Organisação actual dos estudos em Portugal.

Parece-me muito acertado apresentar uma breve resenha da organisação actual dos estudos em Portugal, visto como já dei noticia dos diversos Estabelecimentos Scientificos e Litterarios de outras epochas. A Historia Litteraria do nosso paiz não he indifferente este assumpto. --Note-se, porém, que só darei conta desta materia per summa capita, como quem só leva em vista apontar, e não desenvolver. He forcoso ser muito conciso, e limitar-me ás indicações mais genericas.

Dou a Portugal e ás Ilhas Adjacentes a população de tres milhões e oitocentos mil habitantes; quatrocentos concelhos; quatro mil freguezias: --em numeros redondos.

A Divisão Administrativa, em Districtos, he a seguinte:

[merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small][ocr errors][merged small]
[merged small][merged small][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small]

Postos estes elementos statisticos, classificarei assim o Ensino Publico:

Ensino Primario.

Secundario.
Especial.
Superior.

[ocr errors]
[ocr errors]

E

para mais ordenadamente tratar o assumpto, classificarei o Ensino pelos diversos Ministerios, por conta dos quaes corre a sua administração e sustentação.

-Assim, pertence ao Ministerio do Reino a direcção, administração e sustentação do Ensino Primario, do Ensino Secundario; em quanto ao Ensino Especial, - a Academia de Bellas Artes de Lisboa, a Academia Portuense de Bellas Artes, -Conservatorio Real de Lisboa; — em quanto ao Ensino Superior,—a Academia Polytechnica do Porto,—as Escolas Medico-Cirurgicas do Funchal, de Lisboa, e do Porto, e a Universidade de Coimbra.

- Ao Ministerio da Guerra, em quanto ao Ensino Superior-a Eschola Polytechnica de Lisboa; e em quanto ao Ensino Especial, a Escola do Exercito, o Collegio Militar, e a Escola Veterinaria.

- Ao Ministerio da Marinha, em quanto ao Ensino Especial, a Escola Naval, e a Aula de Construcção Naval.

-Ao Ministerio das Obras Publicas, Commercio e Industria, em quanto ao Ensino Especial, o Instituto Agricola e Escóla Regional de Lisboa, as Escolas Regionaes d'Evora e Vizeu, e o Instituto Industrial de Lisboa, e o do Porto.

No quadro do Ministerio dos negocios Ecclesiasticos e de Justiça entrão os Seminarios.

MINISTERIO DO REINO.

S 1.•

Ensino Primario.

No Continente e Ilhas Adjacentes haverá hoje mil e tantas Escolas de Ensino Primario, sustentadas pelo Estado; sendo destas, tão somente, para o sexo feminino, a vigessima parte. Podemos calcular em 30:000 alumnos os que frequentão essas escolas, sendo 2:000 do sexo feminino. O Estado faz com o Ensino Primario a despeza de cem contos de réis, em numeros redondos.

Felizmente ha um grande numero de Escolas Municipaes, e Parochiaes, por todo o Reino e Ilhas; bem como de Escolas particulares,

Ainda assim, o Ensino Primario he deficientissimo entre nós para ambos os sexos, e particularmente para o sexo feminino. Os Professores são muito escassamente remunerados; e carece-se não só de augmentar o numero das Escolas, mas de as prover de utensilios, de as collocar em commodos edificios, e de obrigar os paes e superiores a mandarem seus filhos e subordinados ás Escolas.

S 2.°

Ensino Secundario. .

Creio que existem hoje 220 Cadeiras de Ensino Secundario, frequentadas por 3:000 alumnos. A despeza do Estado com este ramo de Ensino chega talvez a setenta contos de réis.

Nos Lyceus já estabelecidos em diversas capitaes de Districto ensina-se:

Grammatica Portugueza e Latina.
Latinidade.
Philosophia Racional e Moral, e Principios de Direito Natural.
Oratoria, Poetica, e Litteratura Classica, especialmente a

Portugueza.
Historia, Chronologia, e Geographia, especialmente a Com-

mercial.
Arithmetica e Geometria, com applicação ás Artes.
Linguas Franceza e Ingleza.

Em Lisboa ha tambem nos Lyceus, afóra esses estudos, Cadeiras das Linguas Grega, Hebraica, Arabe, e Allemã; e de Geometria e Mechanica applicada ás Artes; bem como uma de Tachygraphia.

AULA DO COMMERCIO EM Lisboa. Ensina-se Arithmetica, Algebra, Geometria, Trigonometria; Escripturação por partidas dobradas, seguro, cambios, letras e pratica commercial. — Custa ao Estado 1:600,5000 róis.

[ocr errors]

Ensino Especial.

-Na ACADEMIA DAS BELLAS ARTES de Lisboa ensina-se:
Desenho de Figura.
Pintura Historica.
Pintura de Paizagem.
Architectnra.
Esculptura.
Gravura Historica.
Gravura de Paizagem.
Gravura de cunhos e medalhas.

Teve no anno escolar de 1818 a 1849-215 alumnos; e erão seis os Professores proprietarios, e seis substitutos.

No orçamento de 1853 para 1854 vem consignada a verba de 14:2128400 réis para a despeza deste Estabelecimento.

Na ACADEMIA PORTUENSE DE BELLAS ARTES ensina-se:
Desenho Historico.
Pintura Historica.
Esculptura.
Architectura.
Gravura Historica.

Teve no anno escolar de 1848 a 1849-109 alumnos; e erão seis os Professores proprietarios, e seis substitutos.

No orçamento de 1853 a 1854 vem consignada a verba de 5:8108000 para a despeza deste Estabelecimento.

CONSERVATORIO REAL DE LISBOA. Ensina-se Musica instrumental e vocal, composição e Pianno; Declamação; Dança; Mimiea; Esgrima.

« PreviousContinue »